Minicursos - Lógica de Programação

Constantes


Assim como as variáveis têm um nome bastante sugestivo para sua principal característica, que é a de permitir que seus valores variem ao longo da execução da aplicação, as constantes também têm.

Uma constante também é uma área na memória reservada para armazenar um determinado tipo de informação. No entanto, o que a difere da variável é que nela o valor armazenado no início da execução do programa deverá permanecer o mesmo até o final, ou seja, o valor não muda, não varia.

Bem, então resumindo, as últimas duas definições importantes que vimos foram:

- Variável: região na memória capaz de armazenar dados que podem ser alterados ao longo da execução do programa.
- Constante: região na memória capaz de armazenar um dado que não poderá ser alterado ao longo da execução do programa.

Talvez você esteja se perguntando qual a vantagem em armazenar um dado que nunca poderá ser alterado. Vou tentar explicar agora, mas garanto que a utilidade das constantes ficará mais evidente ao longo do minicurso e quando estivermos trabalhando com alguma linguagem de programação, mas por enquanto imaginemos a seguinte situação:

Devemos criar um programa para controle de pagamentos e, sempre que um pagamento atrasar, sobre o valor a ser pago deverá ser acrescentada uma taxa de juros de 0.1% ao dia. Ao longo do desenvolvimento do código do programa, teremos, portanto, que utilizar o valor 0.1 muitas vezes, para realizar as contas e calcular o saldo devedor atual. No entanto, utilizar esse valor muitas vezes ao longo do código pode gerar erro durante a programação, pois podemos, por exemplo, em uma das utilizações, digitar 1% em vez de 0.1%, o que geraria um erro gritante, já que a multa seria 10 vezes maior por dia. Para evitar que este erro aconteça, podemos criar uma constante e lhe atribuir o valor 0.1. Então, sempre que precisarmos utilizar a taxa de juros, faremos referência à constante e não mais teremos que digitar esse valor. Desta maneira evitamos qualquer erro de digitação.

Existe também outra vantagem, que pode nos trazer enorme ganho de tempo, além de tornar a aplicação mais robusta. Vamos imaginar que nesse nosso código fictício criado no parágrafo acima, tenhamos utilizado o valor 0.1 por 5 vezes. Se quisermos, futuramente, alterar a taxa de juros para 0.2%, precisaremos realizar a alteração em 5 pontos diferentes do código. Além de ser trabalhoso, acaba abrindo margem para mais um erro, pois podemos esquecer um dos pontos e criar uma inconsistência de valores no código. Se tivermos uma constante, bastará fazer a alteração do valor atribuído a ela e todo o código já estará automaticamente atualizado.

Enfim, para dados que não deverão ser alterados ao longo da execução, as constantes são realmente uma solução muito interessante. Conforme eu disse, se alguma dúvida persistiu, não se preocupe, pois ao longo do minicurso tudo ficará mais claro.

O importante agora é apenas guardar as definições, que são muito fáceis, já que os nomes são bastante sugestivos para suas funções.

Na sequencia falarei sobre os tipos de dados.


Você gostará destes vídeos: