Minicursos - Programação Orientada a Objetos

Vamos começar a falar sobre POO, mas aqui não vou me estender para falar sobre a história da programação orientada a objetos. Vou me concentrar em dizer apenas os principais motivos do seu surgimento e qual seu objetivo, então já entraremos no que nos interessa.

Entender os principais conceitos da POO é de fundamental importância para quem deseja criar aplicações ricas ou muito complexas, seja para a web ou desktops. Em um primeiro contato as coisas podem parecer um pouco difíceis de entender ou pode até se achar que alguns assuntos não são importantes, mas quando isso for colocado em prática vocês verão que cada tópico tem seu papel e, em um momento ou outro, ele será de vital importância.

Apenas para “quebrar o gelo” antes de entrarmos nos conceitos, é importante dizer que a programação orientada a objetos surgiu para superar às limitações existentes nas programações procedimental e estruturada, pois como a complexidade dos sistemas foi aumentando estes padrões de programação já não atendiam ao que os programadores necessitavam para solucionar os problemas ou criar as regras de negócio que seus clientes determinavam.

Para superar essas limitações é que a POO surgiu e com ela é possível criar objetos que representem entidades do mundo real e que se comunicam através de mensagens. Isso abre um enorme leque de possibilidades de manipulação das informações, pois os programadores não precisam mais imaginar procedures ou functions que contornem esses problemas, mas podem se concentrar em criar objetos que farão parte do sistema e depois apenas criar meios de manipular dados entre eles, o que é muito mais fácil e permite um reaproveitamento de código enorme. Talvez o principal objetivo da POO seja tornar, para o programador, a solução de um problema o mais próximo possível do que seria sua solução no mundo real.

Resumindo, pense na POO como uma coleção de objetos que se comunicam através da chamada de métodos.

Daqui em diante, quando algum código precisar ser feito, utilizarei a linguagem C# e a IDE Microsoft Visual C# 2010 Express. Caso você não a tenha, pode baixa-la em:

http://www.microsoft.com/visualstudio/en-us/products/2010-editions/visual-csharp-express

Não é necessário conhecimento da linguagem C# para o estudo da Programação Orientada a Objetos, pois a sintaxe é muito simples e serei muito claro nos exemplos. Se você passou pelo minicurso de lógica, isso já é suficiente. Caso você nunca tenha utilizado o Visual C# ou o Visual Studio, aconselho que leia os quatro primeiros tópicos do minicurso de C#, então pare, volte para cá, passe por todo o minicurso de POO e depois você pode retomar o de C# a partir do tópico de número cinco. Repito que isso não é pelo C# em si, mas para que se familiarize com essa incrível IDE que é o Visual C#. Caso você já o conheça, então está apto a começar!

Vamos iniciar com o conceito de Objeto e você verá que é menos complicado do que parece!


Você gostará destes vídeos: