Leia também!

Bisbilhotar a vida dos outros no Facebook faz mal

Passar bastante tempo usando redes sociais é bom ou ruim? Esta é uma pergunta que vários especialistas já fizeram, e o Facebook, que é parte interessada no assunto, resolveu consultar a comunidade acadêmica norte-americana para responder a esse questionamento. De modo geral, a conclusão dos vári...

Ler Notícia Completa

Conheça a terapia que previne o HIV, que começará a ser oferecida no Brasil gratuitamente

A partir deste mês, o governo brasileiro irá disponibilizar no Sistema Único de Saúde (SUS) a terapia PrEP, que, por meio de um comprimido por dia, previne a infecção pelo HIV. O remédio, que tem efeitos colaterais, será reservado para casos específicos dentro de grupos de vulnerabilidade, como...

Ler Notícia Completa

EUA aprovam 'droga viva', 1ª terapia contra câncer que reestrutura sistema imunológico do paciente

Os Estados Unidos aprovaram o primeiro tratamento que reestrutura o sistema imunológico do paciente para atacar o câncer. A agência reguladora de medicamentos do país - a FDA - diz que a decisão foi um momento "histórico" e que a medicina agora "entra em uma nova fronteira". A companhia Novar...

Ler Notícia Completa

Dormir é a mais nova habilidade do algoritmo de Inteligência artificial do Google!

Depois de dominar videogames e jogos de tabuleiro, a inteligência artificial do Google agora aprendeu um novo truque: dormir. Em um post feito no blog oficial do projeto DeepMind, o Google explicou como está fazendo para tornar a sua inteligência artificial mais humana. E, para isso, ela precisa saber descansar.

Segundo os engenheiros da empresa, por mais que pareça contra-intuitivo desenvolver uma inteligência artificial que precise dormir, a ideia é que o período de descanso seja usado para ela aprender coisas novas a partir do que deu certo e do que deu errado no que fez enquanto estava acordada.

Os engenheiros do Google explicam que pegaram a ideia emprestada da neurociência. Durante o sono, o cérebro biológio "revisa" padrões temporais de atividade neuronal realizada enquanto ele estava ativo para otimizar o comportamento futuro.

A ideia é usar uma espécie de "imaginação" para a inteligência artificial. Assim como o cérebro humano consegue imaginar cenários hipotéticos em que ele não precisa tomar uma atitude naquele momento, mas consegue avaliar quais são os possíveis caminhos a serem seguidos quando encarar tal situação, a inteligência artificial consegue fazer o mesmo ao "dormir", e chega a uma solução para um problema que não conseguiu resolver enquanto estava ativa.

Assim, por mais que ela use a capacidade total para resolver um problema enquanto está ativa, é bom que parte dos dados coletados durante a solução seja guardado para ser revisto em um período em que a AI esteja offline.

Os pesquisadores também acreditam que quanto mais conceitos eles pegarem emprestados do cérebro humano, mais as inteligências artificiais poderão ajudar a neurociência. "Isso pode nos ajudar a solucionar alguns dos grandes mistérios da neurociência, como a natureza da criatividade, do sono e, quem sabe um dia, até da consciência."


Compartilhe essa notícia
Você gostará destes vídeos:

Dormir é a mais nova habilidade do algoritmo de Inteligência artificial do Google!

Depois de dominar videogames e jogos de tabuleiro, a inteligência artificial do Google agora aprendeu um novo truque: dormir. Em um  post feito no blog oficial  do projeto DeepMind, o Google explicou como está fazendo para tornar a sua inteligência...[clique e leia na íntegra]