Leia também!

Polícia chinesa já faz uso de óculos com reconhecimento facial

A polícia chinesa encontrou uma nova forma vigiar ainda mais os cidadãos. Conforme relata o The Wall Street Journal, os policiais locais estão usando óculos equipados com câmeras de reconhecimento facial para detectar criminosos que estejam tentando fugir principalmente pelas estações de trem. A...

Ler Notícia Completa

Médicos dizem estar perto de chegar a exame de sangue para todos os tipos de câncer

Cientistas dizem que estão mais perto de criar um exame de sangue universal, capaz de identificar todos os tipos de câncer. Estudo conduzido com 1.005 pacientes por uma equipe da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, testou um método que detecta oito tipos de proteínas e 16 mutações ge...

Ler Notícia Completa

Formato JPEG está com os dias contados

Há quantos anos você ouve falar em arquivos JPG? O formato já era utilizado nos primórdios da web comercial nos anos 1990, vivendo há mais de 20 anos como o principal método de compressão de imagens do público. No que depender de Google, Mozilla e outras empresas, isso pode mudar dentro de algum...

Ler Notícia Completa

Ataques virtuais contra internet das coisas vem aumentando significativamente

O mundo está cada vez mais conectado. Se antes os smartphones permitiam acessar a internet, hoje os dispositivos conectados, incluindo TVs, geladeiras e carros, já fazem parte do dia a dia. No entanto, a internet das coisas está se tornando alvo dos cibercriminosos.

Dados apresentados durante a 7ª Conferência Latino-americana de Analistas de Segurança da empresa Kaspersky mostram que os ataques registrados em maio de 2017 contra dispositivos IoT mais do que dobraram, quando comparados com o mesmo período do ano passado.

Além disso, as 7.242 ameaças de 2017 são quase o dobro dos ataques registrados entre 2013 e 2016 (que somam cerca de 4.100 casos descobertos). O analista sênior de segurança da Kaspersky Roberto Martinez afirma que, apesar de os ataques hackers contra dispositivos da internet das coisas terem ganhando força a partir de 2016, as primeiras ameaças surgiram em 2008.

 

 

 

Além da questão de roubos de dados e espionagem, a maior preocupação com a internet das coisas é em relação à saúde. Estima-se que o setor de saúde invista US$ 410 bilhões em dispositivos e serviços conectados até 2022, o que deixa hospitais e pacientes vulneráveis. Recentemente, a Food and Drug Administration, uma espécie de Anvisa dos Estados Unidos, comunicou quase meio milhão de usuários de marcapassos conectados de que era necessário atualizar o sistema dos aparelhos, pois eles estavam vulneráveis a ataques hackers.


Compartilhe essa notícia
Você gostará destes vídeos:

Ataques virtuais contra internet das coisas vem aumentando significativamente

O mundo está cada vez mais conectado. Se antes os smartphones permitiam acessar a internet, hoje os dispositivos conectados, incluindo TVs, geladeiras e carros, já fazem parte do dia a dia. No entanto, a internet das coisas está se tornando alvo dos ciberc...[clique e leia na íntegra]