A estrutura de decisão switch/case não é tão diferente da if/else. Seu papel, na verdade, é o mesmo, porém com sintaxe diferente. Além disso ela é mais indicada para quando se tem muitas opções a serem analisadas. Para evitar que se fique criando enormes estruturas com if/else, pode-se fazer uso dela.

Vamos imaginar que uma variável receba automaticamente o dia da semana do sistema e deva exibir uma mensagem informando o usuário desse dia, de forma mais extensa. Chamarei essa variável de diaSemana. Vejamos como ficaria isso se o fizéssmos com if/else:

Estrutura de Decisão Switch/Case

Vejam que o código fica bastante poluído visualmente, mas claro que funciona corretamente, conforme a imagem abaixo nos mostra:

Estrutura de Decisão Switch/Case

Notem que eu atribuí o valor “Domingo” para a variável diaSemana e depois fiz com que o if/else percorresse todo o código, até encontrar a opção que o localizava. Na verdade ele se enquadrou no bloco do else isolado, pois todos os outros testes falharam. O raciocínio foi simples: se todos os outros dias da semana retornarem falso para o teste, só restou o domingo como opção.

Agora vejam como poderíamos fazer isso com o swith/case, gerando um código muito mais fácil de ser interpretado:

Estrutura de Decisão Switch/Case

O código ficou muito mais limpo. Vou comentá-lo abaixo para explicar o funcionamento do switch/case:

Estrutura de Decisão Switch/Case

Como vocês puderam ver, tanto o if/else quanto o switch/case, são estruturas com a mesma função, que é a de tomar decisões ao longo da execução do código. Eu diria que o if/else deve ser usado em ocasiões onde se tenha poucos testes a serem feitos, enquanto o switch/case é mais adequado para situações em que se tenha uma quantidade maior de testes a serem realizados.

É isso!


HARDWARE

Entendendo o seu computador

O que há dentro do meu computador?

Existem alguns componentes fundamentais presentes dentro do seu computador e é muito importante que você conheça um pouco sobre eles, seja para argumentar com algum vendedor durante a compra de um novo PC ou para identificar alguma atitude desleal de algum técnico que esteja te passando um orçamento para reparo. Na seção Raio-X aqui do Contém Bits você pode conhecer e entender mais detalhadamente sobre cada componente, ou também pode clicar abaixo no componente que deseja, para conhecê-lo melhor.

  • Gabinetes

  • Placas-Mãe

  • Processadores

  • Memória

  • Fontes

  • Drives Ópticos

  • Discos Rígidos

  • SSD

  • Placas de Som

  • Placas de Vídeo

Você Sabia?

O jogo Final Fantasy X para o Sony Playstation 2 vendeu, apenas no dia do seu lançamento, 1.455.732 cópias, estabelecendo um recorde de vendagem para as primeiras 24 horas de um game. Méritos da SquareSoft, que desenvolveu um excelente produto!


Considerando todas as adaptações de jogos de videogame para o cinema, a mais bem sucedida foi Lara Croft: Tomb Raider, lançado em 2001 e que faturou 274 milhões de dólares. Ele foi dirigido por Simon West e estrelado pela bela Angelina Jolie.


O título Asteroids, do Atari, possui recorde de pontuação há 30 anos. Em 1982 um americano chamado Scott Safran atingiu a marca de 41.336.440. Atualmente ele faz parte de um minúsculo grupo de jogadores que conseguiram manter seus recordes por mais de 30 anos.


O primeiro computador a conseguir rodar o jogo Spacewar era o PDP-1, que custava 120 mil dólares e pertencia ao Massachusetts Institute of Technology. O jogo demorou 200 horas para ser desenvolvido, em 1962, e seu criador foi um cientista da computação chamado Steve Russel.


Criar um jogo é muito mais complexo do que parece. São milhares, às vezes, milhões de linhas de código. Isso não é exagero! Apenas o jogo Ultima Online possui 6.006.313 linhas de programação, totalizando 25.103.295 palavras


O ENIAC, primeiro computador valvulado do mundo, possuía 17.000 válvulas, 500.000 pontos de solda, 30 toneladas de peso e ocupava uma área de 180 metros quadrados. Clique aqui e conheça mais sobre a história dos computadores.